Para explicar a ação do descongestionantes nasais (“gotas” nasais), precisamos saber porque o nariz entope. Ao contrário do que as pessoas pensam, não é o catarro acumulado que entope o nariz. Não adianta assoar que o entupimento continuará. Estar resfriado, gripado ou em crise alérgica causa dilatação dos vasos sanguíneos, ou seja, aumenta a quantidade do sangue que irriga o nariz. Aí, os cornetos, que são projeções de osso e mucosa (órgãos esponjosos) que ficam dentro das narinas, incham causando uma obstrução a passagem de ar.
Os descongestionantes nasais possuem em sua fórmula, substâncias vasoconstritoras capazes de contrair os vasos sanguíneos  e diminuir o inchaço dos tecidos nasais, levando a um efeito descongestinante quase instantâneo. As principais substâncias presentes nas “gotas”nasais são a fenilefrina , a nafazolina e a oximetazolina.
O hábito de pingar continuamente o remédio no nariz, além de viciar pode levar a hipertensão arterial e causar taquicardia.  A longo prazo, os efeitos dos descongestionantes nasais  elevam o risco de trombose e formação de coágulos. Na mucosa nasal, o uso abusivo provoca uma reação inflamatória, fazendo com que seja preciso quantidades cada vez maiores do remédio para se obter bem-estar.
Dificilmente os pacientes viciados nessas medicações conseguem largá-las  sem orientação médica. O ideal é fazer um “desmame”, ou seja, diminuir gradativante a frequência do uso dos descongestionantes nasais. O médico otorrinolaringologista deve associar outras medicações como descongestionantes orais, corticóides tópicos nasais e soro fisiológico, até que o paciente consiga parar o uso das “gotas”descongestionantes. Em alguns casos, pode ser necessário tratamento cirúrgico (cirurgia dos cornetos/turbinectomia) quando a queixa de obstrução nasal persiste após o tratamento medicamentoso.

Todas as informações fornecidas neste website têm caráter meramente informativo, com o objetivo de complementar, e não substituir, as orientações do seu(sua) médico(a).
Dr. Eduardo Garcia
CRM-SP 127.022

Eduardo Garcia

Sobre Eduardo Garcia

Dr. Eduardo Garcia tem ampla experiência na realização de consultas, exames e cirúrgias na área de otorrinolaringologia com atuação há mais de dez anos. Formação Acadêmica – Graduação em Medicina pela Faculdade de Medicina do ABC,SP ,2006. – Residência Médica em Otorrinolaringologia pelo Hospital CEMA Especializado, SP. 2008-2011. – Título de Especialização em Otorrinolaringologia pela ABORL e AMB. 2011. – Pós Graduação em Cirurgia Plástica da Face pelo IBPG, SP. 2011-2012. – Médico Assistente e Preceptor do departamento de Otorrinolaringologia do Hospital CEMA Especializado, SP. – Membro da Associação Brasileira de Otorrinolaringologia e Cirurgia Cérvico Facial (ABORL-CCF). – Membro da Fundação de Otorrinolaringologia (FORL). – Atuação em Otorrinolaringologia clínica e cirúrgica. Adulto e pediátrica. – Atendimento médico humanizado e individualizado, prezando sempre pela ética profissional. – Atuação nos Hospitais : Hospital Samaritano , Hospital Nove de Julho , Hospital Paulista ,Hospital Santa Catarina, Hospital CEMA.

Deixe seu comentário

Leave a Reply