A doença de Ménière é uma labirintopatia que foi  inicialmente descrita por Prosper Menière em 1861 e em sua homenagem foi então denominada. Trata-se de uma doença que afeta o ouvido interno, sendo causada pelo aumento de pressão da endolinfa, o fluido biológico que preenche os canais semicirculares (labirinto).  A doença de Menière é um dos principais tipos do que chamamos popularmente de “labirintite”.

A doença de Menière é caracterizada por crises de: vertigens (sensação de rotação tanto do corpo quanto do ambiente) , zumbidos (percepção de ruído geralmente de tom agudo) e hipoacusia (diminuição da audição). Esses sintomas nem sempre estão presentes simultaneamente. Muitas pessoas podem também se queixar de uma sensação de pressão ou plenitude no ouvido afetado.

A doença de Ménière raramente é bilateral (afeta os dois ouvidos em apenas 10% a 15% dos casos). A perda auditiva geralmente é flutuante, ou seja, a audição piora nas crises e se recupera parcialmente ao seu final. Ao longo do tempo, e após sucessivas crises, a tendência é que audição fique seriamente comprometida.

As mulheres são mais afetadas que os homens e a maior incidência da doença  ocorre entre a quarta e quinta décadas de vida.

Nas crises além dos sintomas clássicos da doença (vertigem, zumbido e hipoacusia)  ainda é comum que aconteçam náuseas e vômitos, geralmente acompanhados de dor de cabeça. Uma crise pode durar desde poucos minutos ou até permanecer por vários dias.

Para a grande maioria dos pacientes o tratamento da doença de Menière é clínico, com uso de medicamentos, apenas durante as crises. Fisioterapia de reabilitação labiríntica pode ajudar em muitos casos.

Pode-se optar também pela solução cirúrgica (a cirurgia é denominada de descompressão de saco endolinfático), que é um procedimento reservado para os casos refratários aos tratamentos clínicos, em pacientes com grande perda de qualidade de vida, com vertigens incapacitantes.

 

 

Todas as informações fornecidas neste website têm caráter meramente informativo, com o objetivo de complementar, e não substituir, as orientações do seu(sua) médico(a).

Dr. Eduardo Garcia
CRM-SP 127.022

 

 

Eduardo Garcia

Sobre Eduardo Garcia

Dr. Eduardo Garcia tem ampla experiência na realização de consultas, exames e cirúrgias na área de otorrinolaringologia com atuação há mais de dez anos. Formação Acadêmica – Graduação em Medicina pela Faculdade de Medicina do ABC,SP ,2006. – Residência Médica em Otorrinolaringologia pelo Hospital CEMA Especializado, SP. 2008-2011. – Título de Especialização em Otorrinolaringologia pela ABORL e AMB. 2011. – Pós Graduação em Cirurgia Plástica da Face pelo IBPG, SP. 2011-2012. – Médico Assistente e Preceptor do departamento de Otorrinolaringologia do Hospital CEMA Especializado, SP. – Membro da Associação Brasileira de Otorrinolaringologia e Cirurgia Cérvico Facial (ABORL-CCF). – Membro da Fundação de Otorrinolaringologia (FORL). – Atuação em Otorrinolaringologia clínica e cirúrgica. Adulto e pediátrica. – Atendimento médico humanizado e individualizado, prezando sempre pela ética profissional. – Atuação nos Hospitais : Hospital Samaritano , Hospital Nove de Julho , Hospital Paulista ,Hospital Santa Catarina, Hospital CEMA.

Deixe seu comentário

Leave a Reply